Quando vos mostrar estas Plantas provavelmente irão dizer-me que as têm plantadas no jardim, ou em vasos lá em casa… é verdade, mas sabiam que as podem comer?

Chamam-se Plantas alimentícias não convencionais, ou PANCs, e estão a despertar cada vez mais o interesse de pessoas que trabalham na área da biologia e nutrição, assim como dos chefs de cozinha.

São Plantas facilmente encontradas mas que a maioria das pessoas não conhece as suas funções alimentares.

Antes de consumir qualquer PANC, é importante pesquisar, perguntar nas Hortos, na internet ou em livros sobre o assunto, para identificar correctamente as plantas que podem ser ingeridas e, assim, evitar uma intoxicação ou outro tipo de problemas.

Fiquem então a conhecer algumas…

 

Plantas alimentícias

Beldroega

Estas são as Plantas que não costuma comer, mas pode!

É utilizada na preparação de saladas, sopas e guisados, pois possui o sabor semelhante ao espinafre e não é tóxica ao homem.

Deve ser cozida ou refogada antes de ser consumida.

Rica em substâncias como ômega 3, vitamina A, B, C, minerais como magnésio, cálcio, potássio, ferro e o pigmento carotenoide, responsável pela cor avermelhada do caule da planta. É rica em glicose, frutose e sacarose.

 

Urtiga

Estas são as Plantas que não costuma comer, mas pode!

É uma das plantas mais ricas em ferro e, em alguns países, como na Itália, é um item famoso na culinária, usada em uma sopa chamada zuppa di ortiche, que é uma raridade.

A urtiga é muito rica em vitaminas, principalmente as do complexo B, C e K. Além de possuir minerais, como o magnésio e o ferro, oligoelementos, betacaroteno, aminoácidos, cálcio, sais, fosfato e proteínas.

 

Serralha

Estas são as Plantas que não costuma comer, mas pode!

A Serralha é rica em vitaminas A, D e E, em ferro, cálcio e fósforo. Contém flavonoides, tendo ação adstringente, anti-inflamatória, anticancerígena, antioxidante, desintoxicante e diurética.

É amarga e deve ser deixada de molho na água fria ou no caldo de laranja lima para eliminar esse sabor e, depois, refogada no alho para acompanhar pratos como feijão.

 

Araruta

É muito nutritiva e, dessa planta medicinal é possível extrair um amido sem glúten que pode substituir o trigo ou a aveia.

As propriedades da Araruta podem incluir fácil digestibilidade e actividade anti-inflamatória, além de também ser uma óptima opção para regular o intestino.

 

Peixinho

Como é comestível e sem nenhum efeito colateral, poderá ser colocada num jardim em que crianças tenham acesso.

A receita básica indica que as folhas, lavadas e secas, do peixinho da horta, podem ser fritas, empanadas ou não, e servidas como guarnição ou aperitivo.

 

Ora-pro-nóbis

Das Plantas com mais teor de fibras, ajuda no processo digestivo e intestinal, promovendo saciedade, facilitando o fluxo alimentar pelo interior das paredes intestinais, além de ajudar a recompor toda a flora intestinal, evitando a prisão de ventre, formação de pólipos, hemorróidas e até tumores.

A sua preparação é extremamente simples, como qualquer verdura que adquirimos.  O seu sabor é neutro, ou seja, não é picante, nem ácido, nem amargo. Tem uma textura macia, fácil de mastigar.

Ela poderá fazer parte de recheios, saladas, refogados, sopas, e onde mais a vossa imaginação permitir.

 

Capuchinha

Um clássico da cozinha, esta Planta é muito saborosa e pode ser consumida cozida para o seu consumo.

É uma das flores comestíveis mais conhecidas, sendo usadas em saladas e diversos outros tipos de receitas, onde adicionam cor e sabor. As folhas também são muito apreciadas, tendo um sabor picante similar ao do agrião. Já os frutos imaturos podem ser usados para conservas, sendo um bom substituto para alcaparras.

As sementes podem ser moídas e usadas como um substituto para a pimenta, uma vez que são muito picantes. Vários outros nomes populares são atribuídos a estas plantas, incluindo chagas, flor-de-sangue e agrião-do-méxico.

 

Picão-preto

Nutritiva e saborosa, tem alto teor de ferro e zinco, e deve ser cozida antes de ser consumida.

Muito usada no arroz de picão e também no chá que pode ser tomado com gotas de limão.

 

Caruru

É rica em proteínas, fibras, ferro e magnésio. Muito usada no interior para acompanhar carnes ou no meio do feijão. Seu sabor é muito similar ao do espinafre.

Das folhas do Caruru se fazem saladas, molhos e refogados. Os talos e folhas também entram em receitas de panquecas, tortas, bolos e pastéis. E as suas sementes são acrescentadas à massa de pão.

Bom apetite!